domingo, 2 de dezembro de 2012

Retrospectiva do GALO



O 2013 foi cheio de emoção.
Começou cheio de protestos, faixas viradas, reapresentação do elenco com a torcida na porta da Cidade do Galo, brigando e xingando o elenco.
Tudo efeito de uma goleada sofrida para o rival na última partida do campeonato em 2012, o vexaminoso 6 x 1.
Jamais será esquecido, mas aos poucos, está sendo perdoado.
O título estadual veio de forma invicta. 
Kalil anunciou o arrrendamento do Independência.
A torcida adorou a notícia.
A Copa do Brasil se repetiu como noutros anos. Saímos para um time de menor expressão, Goiás.
O brasileirão chegou em meio a desconfiança.
Ronaldinho contratado, o ambiente mudou. A torcida deu um tempo nos protestos.
A partir da quarta rodada, R49 estreou, a auto estima se elevou.
O time e a torcida fizeram as pazes.
Cuca, humildemente, aceitou as críticas, pediu aos jogadores a resposta em campo.
Bernard e Marcos Rocha evoluíram.
Léo Silva , Réver e Rafael marques comandaram a defesa.
Pierre e Leandro Donizete foram os cães de guarda da defesa.
Jô, o pivô que prepara a bola pra quem vem de trás. Algumas vezes, ele mesmo fez.
André foi o artilheiro do Mineiro. Hoje, no Santos.
Júnior César, o apoio do lado esquerdo.
Berola e Escudero, foram suplentes que colaboraram o ano todo.
Danilinho foi importante para o time, porém, pisou na bola e saiu.
Guilherme , Serginho e Richarlyson não agradaram em 90% das partidas.
Chegou Victor, promessa de ser melhor que os que tem no time. Até é. Só que ainda não me convenceu. 
Giovani foi o goleiro até a Copa do Brasil, questionado algumas vezes, inseguro, mas ao sair, deu mostras de ser um grande profissional, sabendo que não seria titular, jogou contra o grêmio e foi sua melhor partida. Cuca lhe deu a escolha de não jogar a sétima partida e se transferir para outro time. Ele preferiu ficar.
No jogo de estréia de Victor, Giovani foi cumprimentá - lo, uma atitude que poucos teriam. 
R49 = 4 + 9 = 13 e treze é GALO. Vestiu a camisa, honrou até o último minuto. Foi nosso maestro.
E com o nosso maestro, o Galo não perdia, estava voando no primeiro turno.
Perfeito. Um ano promissor.
Terminamos o primeiro turno como campeões.
Vindo o segundo turno, o rendimento caiu, não perdíamos em casa, só que não vencíamos fora.
O título estava mudando de mãos. O Fluminense chegou forte, se impôs e restou a luta pelo segundo lugar.
Segundo lugar não é título, não é o que a torcida quer. 
Mas, pensando friamente, pra quem está saindo da lama, segundo lugar do nacional é aceitável.
O balanço do ano é positivo. Pós 13 anos, o CAM estará na libertadores. 
Com o jogo de hoje, contra nosso maior rival, num jogo alucinante, confirmamos que iremos direto para o torneio sul americano.
E que jogo foi esse?
Clássico com muitos gols, catimba, expulsões e desabafos.
Um clássico emocionante, digno de dois times grandes. 
Um clássico para fechar este 2012 maravilhoso no futebol. Um ano quase perfeito. Faltou o título.
Que virá, está muito perto.
2013 promete!

4 comentários:

  1. Se eu não fosse torcedor do Cruzeiro, diria que gostei de ver o Atlético fazendo uma boa campanha no Brasileirão.

    Acredito que o Kalil este ano soube deixar de lado o seu lado torcedor e ser mais frio e calculista nas ações.

    Que em 2014 o Atlético continue jogando esta bolinha e o meu Cruzeiro tome vergonha na cara e volte a ser GRANDE novamente, fazendo contratações decentes e volte a lutar por títulos.

    ResponderExcluir
  2. Torci pelo sucesso do Atlético/MG no Brasileirão, torci pelo título mas não podemos apagar o bom ano do elenco!! voltar a libertadores depois de alguns anos, é sem duvidas um resultado expressivo, o elenco competitivo, boas revelações como o Bernard e jogadores consagrados como o R49, muito bom ver o futebol mineiro novamente competitivo. Que o Cruzeiro volte aos bons tempos, será importante inclusive para o Galo.

    ResponderExcluir
  3. Espero que 2013 seja o nosso ano.

    ResponderExcluir
  4. acho que 2012 marcou o ressurgimento do Galo como time realmente GRANDE que é!
    tb acho que com o retorno do Mineirão, e a força que a torcida do Galo consegue passar para o time dentro de campo, 2013 tem td para ser ate melhor.
    Otima RETROSPECTIVA Nubia!!

    ResponderExcluir